Sabe quais os peixes mais indicados para a grávida?

Sabe quais os peixes mais indicados para a grávida?

Hoje comemora-se o Dia da Grávida!

Nesta fase da vida deve-se ter outros cuidados e prestar atenção no que ingere para que tudo corra bem. Por isso deixamos-lhe aqui algumas indicações dos peixes que deve ou não comer.

O peixe faz parte de uma alimentação saudável do nosso dia a dia, portanto recomenda-se que inclua no seu menu semanal de 2 a 3 vezes por semana, fresco e/ou congelado, grelhado ou assado (de preferência). São ótimas fontes de fósforo, proteína e ômega 3, que é um tipo de gordura boa para o organismo que auxilia no processo de desenvolvimento neurológico da criança.

Os Peixes e marisco mais indicados na gravidez

Alguns peixes e marisco mais recomendados para consumir durante a gestação são:

  • Salmão;
  • Sardinha;
  • Linguado;
  • Perca;
  • Pescada;
  • Camarão;

 

Durante a gravidez, evite um consumo exagerado de peixes com elevado teor de metais pesados (peixe-espada, cação, cavala e atum), peixe fumado e marisco, bem como peixe proveniente de rios contaminados.

A ingestão semanal de 360 g de peixe ou marisco com baixo teor de mercúrio (salmão, camarão, escamudo e robalo) é segura.

 

Cuidados a ter com marisco e peixe na gravidez

Peixe e marisco deve ser bem cozinhado

Evite peixe cru ou mal confecionado.

Tal como para o peixe, deve sempre assegurar-se de que o marisco está bem cozinhado e se não conseguir ou não souber determinar o seu grau de preparação evite a sua ingestão.

Evite o marisco que tem concha e também deve ter também cuidado com os mexilhões, chocos, polvo ou lagostins.

A principal razão para estes cuidados deve-se à presença de salmonela em alimentos crus, uma vez que esta pode originar intoxicações alimentares.

Optar por peixe congelado

Não é uma regra geral, mas muitas vezes o peixe congelado oferece mais segurança porque as temperaturas de congelação destroem alguns micro-organismos.

Contudo, não diminua os cuidados na preparação e confeção apenas por ser peixe congelado. É essencial que todos os alimentos sejam preparados a altas temperaturas para garantir que estão bem cozinhados aquando da sua ingestão.

Cuidado no armazenamento

O peixe e o marisco devem ser sempre armazenados no frio para prevenir que haja desenvolvimento de micro-organismos ou agentes patogénicos.

Prevenir a contaminação

A higienização das mãos é crucial e não usar os mesmos utensílios (por exemplo, facas e tábuas) para preparar o peixe ou marisco cru e, posteriormente, cozinhado sem que estes sejam bem limpos.

Este artigo não dispensa o aconselhamento com o seu profissional de saúde.

Informem-se corretamente e desfrutem!

A sardinha é o peixe mais popular das festas e arraiais de Verão!

A sardinha é o peixe mais popular das festas e arraiais de Verão!

De nome científico Sardina pilchardus, da família Clupeidae, não deve faltar à nossa mesa. Tem um corpo alongado com uma cor azul-prateada e é encontrada no Atlântico Nordeste e Mar Mediterrâneo, onde habita na coluna de água em zonas costeiras de 25 a 100 m de profundidade. Faz migrações em grandes cardumes, que durante o dia se protegem dos
predadores em águas mais profundas e à noite sobem para águas mais superficiais para se alimentarem de algas e pequenos crustáceos.
Reproduz-se de Outubro a Abril, altura em que é mais magra, e a fêmea pode desovar 50.000a 60.000 óvulos. O peso mínimo de captura é de 11cm .

A sardinha, um peixe gordo, saudável e nutritivo, que previne doenças cardiovasculares e de Alzheimer, também ajuda a combater a depressão, entre outros benefícios, é uma fonte natural de:

  • Proteínas completas e de alto valor biológico;
  • Ferro;
  • Fósforo;
  • Magnésio;
  • Vitaminas A, B, D, E e K.

É classificada como um peixe gordo, mas devido à sua alimentação exclusivamente de plâncton, fornece-nos gordura de boa qualidade, do tipo polinsaturada, o ómega 3. Uma porção de 100 g de sardinhas fornece cerca de 1 g de ómega-3, sendo a sardinha um dos seis peixes mais ricos em EPA e DHA, juntamente com a truta, a cavala, o atum, o arenque e o salmão. O conteúdo lipídico e de ómega-3 varia, contudo, consoante a época. É mais rica em lípidos no verão, daí ser sobretudo consumida em Portugal nos meses de maior calor e tradicionalmente associada aos festejos dos santos populares.

Por que é que as mulheres devem comer sardinhas

A sardinha é ainda uma importante fonte de zinco para as mulheres, bem como de cobre, necessário para a formação de hemoglobina e de colagénio, substância utilizada para a estrutura da proteína e para a reparação de tecidos no corpo. Algumas das enzimas que este peixe contém também contribuem para a defesa do organismo contra os radicais livres, retardando os efeitos do envelhecimento.

Em termos práticos e objetivos, o seu valor nutritivo, sobretudo grelhadas, é inegável. 100 g de sardinhas contêm, em média, cerca de 208 kcal, cerca de 25 g de proteínas e 11,5 g de gordura, sendo dessa 1,5 g de gordura saturada, cerca de 3,9 g de gordura monoinsaturada, cerca de 5 g de gordura polinsaturada e 142 mg de colesterol, o que exige todavia alguma moderação no que se refere ao seu consumo.

Bacalhau à Lagareiro

Bacalhau à Lagareiro

Bacalhau à Lagareiro

4 postas grossas de bacalhau (600g)
1 chávena de leite
4 dentes de alho, cortados em rodelas finas
sal e pimenta
sumo de 1 limão
2 ovos batidos
pão ralado para envolver
2 colheres de sopa de manteiga
1 3/4 chávena de azeite

 

COMO PREPARAR:

Limpe o bacalhau demolhado de peles e espinhas, corte em quadrados grandes, disponha numa travessa, regue com leite, tempere com alho em rodelas, sal ,pimenta e o sumo de limão e deixe de molho por duas horas.

Escorra os pedaços de bacalhau, reservando o leite, envolva-os nos ovos batidos e no pão ralado e disponha numa travessa refractária e sobreponha em cada pedaço uma nozinha de manteiga.

Regue com um pouco de azeite e com 2 colheres(sopa) do leite reservado e leve ao forno para assar, regando de vez em quando com o molho que se forma no fundo da travessa, até o bacalhau ficar bem dourado.

Retire do forno e sirva com Batatas a Murro e salada.

Pescada à Poveira

Pescada à Poveira

Pescada à Poveira

1 pescada da Póvoa de Varzim
1 folha de louro
2 kg de batatas
2 molhos de grelos
10 ovos
7,5 dl de azeite
2 cebolas
1 colher de chá de colorau doce
2 colheres de sopa de vinagre
Sal
1 pão cacete

 

COMO PREPARAR:

Depois de escamada e lavada corta-se a pescada em postas de 5 cm de espessura. Tempera-se com sal e deixa-se ficar assim durante algumas horas. Em seguida, lava-se a pescada e deixa-se ficar em água fria enquanto se leva ao lume um tacho com água.

Assim que esta água ferve introduz-se o peixe com uma folha de louro. Deixa-se levantar fervura novamente que se quebra juntando um pouco de água fria. Deixa-se então cozer a pescada durante alguns minutos (depende da espessura). Tiram-se as postas cuidadosamente com uma escumadeira para não se desfazerem.

Entretanto, têm-se cozido as batatas, os grelos e os ovos e cortado o pão em fatias (não tendo cacete pode servir em papo-seco) e preparado o molho fervido, que se faz como segue: deita-se a cebola picada para um tacho com o azeite e o colorau. Deixa-se ferver um pouco e adiciona-se o vinagre. Tempera-se com sal e pimenta.

Dispõem-se as fatias de pão no fundo de um prato fundo. Rega-se com um pouco do molho e colocam-se por cima as postas de pescada, as batatas, os grelos e os ovos cortados  rodelas. Cobre-se tudo com o molho fervido.

Bola de Bacalhau

Bola de Bacalhau

Bola de Bacalhau

Pão fatiado
•Leite
Manteiga
Açucar amarelo
Casca de limão
Pau de canela
Vinho do Porto
Ovos

 

COMO PREPARAR:

Leva-se a aquecer o leite, a manteiga, o açucar, a casca do limão e o pau de canela. Deixa-se arrefecer a mistura anterior, e adiciona-se o vinho do Porto. Molham-se as fatias de pão na mistura preparada e deixam-se em repouso, pelo menos 1h.

Passam-se as fatias por ovo batido e fritam-se em óleo quente.

Rabanadas

Rabanadas

Rabanadas

Pão fatiado
Leite
Manteiga
Açucar amarelo
Casca de limão
Pau de canela
Vinho do Porto
Ovos

COMO PREPARAR:

Leva-se a aquecer o leite, a manteiga, o açucar, a casca do limão e o pau de canela. Deixa-se arrefecer a mistura anterior, e adiciona-se o vinho do Porto. Molham-se as fatias de pão na mistura preparada e deixam-se em repouso, pelo menos 1h.

Passam-se as fatias por ovo batido e fritam-se em óleo quente.

Caldeirada de Enguias

Caldeirada de Enguias

Caldeirada de Enguias à Moda de Aveiro

1,2 kg de enguias
600 g de batatas
100 g de unto de pão velho (gordura da barriga que se deixou rançar)
1 dl de azeite
2 colheres de sopa de vinagre
2 dentes de alho
2 cebolas grandes
1 folha de louro
1 ramo de salsa
1 colher de sobremesa de pós de enguia (gengibre ou de açafrão-da-índia)
sal grosso
pimenta em pó

 

COMO PREPARAR:

Para se amanharem as enguias, retiram-se as cabeças, lavam-se em várias águas e raspam-se para se retirarem todos os resíduos viscosos (galheiras). Cortam-se em bocados.

Descascam-se as batatas e cortam-se às rodelas – tanto mais grossas quanto as enguias o forem. Descascam-se e cortam-se as cebolas ás rodelas.

Num tacho largo põem-se as enguias, as batatas e as cebolas, em camadas alternadas. Cada camada é regada com azeite e temperada com alho, louro, salsa, pós de enguia, sal e pimenta. Corta-se o unto em fatias finas e dispõe-se por cima. Rega-se com um copo de água. Tapa-se a caldeirada e deixa-se cozer entre 20 a 30 minutos.

Depois das enguias cozidas – reconhece-se pela consistência -, retira-se o unto e esmaga-se com sal grosso. Junta-se o vinagre a esta papa, que se dilui depois com duas conchas do caldo da caldeirada – estas conchas de caldo devem apanhar o máximo da gordura da caldeirada. Este preparado tem o nome de «moira» e é deitado sobre as enguias e as batatas.

Do resto do caldo da caldeirada faz-se uma sopa, a que se junta apenas pão torrado e um ramo de hortelã.

Amêijoas à Bulhão Pato

Amêijoas à Bulhão Pato

Amêijoas à Bulhão Pato

1 kg de amêijoas
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
1 limão
1 raminho de coentros
sal
pimenta

 

COMO PREPARAR:

Arranjam-se as amêijoas como habitualmente, pondo-as de molho em água com bastante sal e lavam-se em várias águas para largarem a areia. Leva-se ao lume o azeite, deixa-se aquecer e juntam-se os dentes de alho picados.

Deixa-se alourar um pouco. Introduzem-se as amêijoas e os coentros finamente picados e tempera-se com sal e pimenta. Mexe-se o recipiente de vez em quando. Quando todas as amêijoas estiverem abertas, regam-se com o sumo de meio limão.

Serve-se com o restante limão cortado em quartos.