Bacalhau o nosso ‘fiel amigo’

Bacalhau o nosso ‘fiel amigo’

O povo Viking desbravou as águas e descobriu o bacalhau, que na falta do sal, deixavam o peixe a secar ao ar livre, dispostos nos barcos. Mas os Portugueses foram os heróis que deram a conhecer ao mundo esta iguaria e até faz parte da identidade do país por estar tão enraizado na cultura portuguesa.

Os portugueses viram o bacalhau como o peixe ideal para resistir a longas travessias na época dos Descobrimentos. Também por esta altura surgiu a cura tradicional portuguesa, isenta de substâncias químicas, mas que preservava as propriedades nutricionais do peixe e dava-lhe um sabor exclusivo.

 

Curiosamente, a pesca do bacalhau começou no Canadá. Na tentativa de encontrar a contra costa das Índias, os Portugueses navegavam para oeste deparando-se com a “Terra Nova” e a Gronelândia, acredita-se mesmo que os Portugueses começaram a pescar bacalhau na “Terra Nova” por engano. Mas foi sol de pouca dura e no século XVI as tripulações Portuguesas são praticamente expulsas da Terra Nova por Corsários Ingleses e Franceses, sendo a pesca então dominada por eles.

Entretanto, o consumo do bacalhau salgado seco generalizou-se durante o século XVII e, até ao século XX, consumia-se o chamado “bacalhau inglês”.

Só em 1835 é que Portugal colocou as frotas a caminho, ainda com momentos muito atribulados para o negócio. Mas nas décadas de 1950 e 1960 assinalou-se o pico da captura da frota bacalhoeira portuguesa, aumentando cerca de 60% da produção do bacalhau que se consumia, face ao ano anterior.

Estávamos em pleno Estado Novo e depois de várias lutas e testes à resiliência aos homens do mar, Portugal aposta na qualidade do produto. Alcançou o primeiro lugar na produção em 1958, entre pescas na Terra Nova, Noruega e Svalbard, e afirmou-se no mercado internacional.

O último ano em que uma frota de bacalhoeiros parte para a Terra Nova foi em 1974, ano que coincide com a queda da ditadura em Portugal. Também houve mudanças no direito do mar e outros problemas já na década de 60.

Nos dias de hoje, 70% do Bacalhau que consumimos vem da Noruega e 20% da captura mundial de Bacalhau.

Apesar de ser ‘Bacalhau’ para os povos de língua portuguesa; ‘Stockfish’ para os anglo-saxônicos; ‘Baccalà’ para os italianos; ‘Bacalao’ para os espanhóis; ‘Morue’ para os franceses e ‘Codfish’ para os ingleses’; este peixe esteve sempre presente, em momentos muito difíceis e outros muito bons, ao longo da história de Portugal e por isso, tem a alcunha de fiel amigo.

Sabia que existem 1001 maneiras de confecionar bacalhau?

 

A riqueza do bacalhau na gastronomia portuguesa é tão abundante e ao longo de tantos anos, que se diz que há pelo menos uma receita de bacalhau para cada dia do ano.

 

O bacalhau é de fácil digestão e apresenta uma elevada riqueza de proteínas de alto valor biológico, de minerais como o iodo, fósforo, sódio, potássio, ferro e cálcio, tal como vitaminas do complexo B.

Trata-se de um peixe magro, fonte de ácidos gordos polinsaturados, destacando-se pelo ómega 3, representando um papel importante como protetor para o sistema cardiovascular, preventivo para o cancro e promotor do desenvolvimento do sistema imunológico.

De acordo com a Direção-Geral da Saúde, o bacalhau é um peixe magro (0,1% da DDR por 100g), fonte de ácidos gordos polinsaturados, destacando-se pelo ómega 3. O fígado deste peixe é o principal reservatório de gordura, de onde se extrai o conhecido óleo de fígado de bacalhau, muito útil na prevenção de uma série de doenças. Também é rico em proteína de alto valor biológico, com quantidades apreciáveis em vitamina D, fósforo, potássio e magnésio. O bacalhau é particularmente rico em selénio, que integra diversas enzimas com capacidades de proteção das células do organismo contra os radicais livres de oxigénio.

O Bacalhau à Zé do Pipo, o Bacalhau à Brás, o Bacalhau Espiritual e o à Gomes de Sá, Bacalhau à Lagareiro e o Bacalhau com Broa, os Bolinhos de bacalhau e as famosas Pataniscas de Bacalhau são exemplos de receitas típicas portuguesas. Ainda hoje fazem parte da identidade portuguesa, encontrando-se em vários livros de cozinha e que passam de geração em geração.

Habitualmente, os acompanhantes deste peixe, são o azeite, que lhe acrescenta os ácidos gordos essenciais e realça o sabor, a batata e o grão, fontes de hidratos de carbono e energia, e ainda as couves e outros hortícolas como a cenoura, ricas em fibras alimentares, vitaminas e minerais. Esta combinação representa um equilíbrio interessante e é uma boa sugestão para um prato saudável.

 

O bacalhau é o rei do Natal!

O bacalhau é o rei do Natal!

Estamos a dias da festa da família e dos melhores amigos, celebramos o amor e aquele espírito natalício característico. Claro que ao nível gastronómico também pode escolher outra receita, mas normalmente o bacalhau fica em primeiro lugar na escolha do s portugueses.
O bacalhau, tal como os restantes peixes, é de fácil digestão, apresenta uma elevada riqueza em proteínas de alto valor biológico, de minerais como o iodo, fósforo, sódio, potássio, ferro e cálcio e de vitaminas do complexo B. É considerado um peixe magro e o fígado deste peixe é o principal reservatório de gordura, de onde se extrai o conhecido óleo de fígado de bacalhau, importante fonte de vitamina A e D, muito útil na prevenção de uma série de doenças.
Hoje partilhamos uma receita tradicionalmente portuguesa e deliciosa:

BACALHAU À ZÉ DO PIPO

Para 5 pessoas
INGREDIENTES
4 postas de bacalhau demolhado
2 kg de batatas
2 cebolas
3 dentes de alho
1 l de leite
100 g de manteiga
1,5 dl de azeite
6 colheres (sopa) de maionese
1 ovo batido
1 folha de louro
Azeitonas q.b.
Salsa q.b.
Sal e pimenta q.b.

Preparação
– Descasque as batatas, corte-as ao meio, lave-as e coza-as em água temperada de sal durante 20 minutos. Leve ao lume um tacho com o leite, deixe ferver, junte as postas de bacalhau e deixe cozer durante 10 minutos. Depois retire o bacalhau, escorra-o e coloque-o num tabuleiro de louça. Reserve o leite de cozer.
– Descasque as cebolas e os alhos, pique tudo, deite para um tacho, junte o louro e o azeite, leve ao lume e deixe cozinhar até a cebola ficar transparente. Adicione 1 dl do leite de cozer o bacalhau, mexa, tempere com sal e pimenta, deixe ferver um pouco e retire do lume.
– Ligue o forno a 200ºC. Escorra as batatas, reduza-as a puré, junte a manteiga e mexa bem. Adicione o ovo batido, mexa e junte depois o restante leite de cozer o bacalhau, aos poucos e apenas o necessário até ficar um puré macio e consistente. Retifique o sal e tempere com uma pitada de pimenta.
– Espalhe a cebola em cima das postas de bacalhau, deite o puré de batata num saco de pasteleiro com boquilha frisada e disponha em montinhos à volta do bacalhau. Espalhe a maionese em cima do bacalhau, leve ao forno até ficar bem douradinho, retire e sirva quente decorado com raminhos de salsa e azeitonas.
Saúde não lhe vai faltar!

Fonte: https://www.teleculinaria.pt/receitas/peixes/bacalhau-ze-do-pipo/

Receita do Dia – Polvo à Lagareiro

Receita do Dia – Polvo à Lagareiro

Polvo à Lagareiro, uma receita tradicional portuguesa para esta terça-feira.
Com os nossos produtos consegue sempre surpreender e cozinhar de maneira fácil e saudável.
Compre o nosso polvo e aproveite para fazer esta receita.

Receita:
Deixe cozer o polvo na panela de pressão por 15 ou 20 minutos, junte-lhe uma cebola com casca e sem sal, para que o polvo não fique duro.
Entretanto lave muito bem as batatas com casca, salpique-as com sal grosso e leve a assar num tabuleiro.
Quando o polvo estiver cozido,ponha-o num tabuleiro de barro com os dentes de alho esmagados, 1 folha de louro, coentros picados grosseiramente e azeite até quase cobrir o polvo.
Leve ao forno durante 30 minutos.
Quando as batatas já estiverem assadas dê um murro em cada uma e disponha-as à volta do polvo, regando-as com o azeite quente.
Bom apetite!

Em destaque – O Bacalhau

Em destaque – O Bacalhau

Esta semana damos destaque ao bacalhau.
O bacalhau, tal como os restantes peixes, é de fácil digestão, apresentando uma elevada riqueza em proteínas de alto valor biológico, de minerais como o iodo, fósforo, sódio, potássio, ferro e cálcio e de vitaminas do complexo B. É considerado um peixe magro, sendo o fígado deste peixe o principal reservatório de gordura, de onde se extrai o conhecido óleo de fígado de bacalhau, importante fonte de vitamina A e D, muito útil na prevenção de uma série de doenças.
Consulte o nosso site e acompanhe o nosso facebook para ter receitas práticas e saborosas deste peixe delicioso.

#moreiracongelados #bacalhau #saude #receitas

Receita do Dia – Bacalhau à Brás

Receita do Dia – Bacalhau à Brás

Uma receita bem portuguesa que é confeccionada com os nossos produtos:

BACALHAU À BRÁS
Escalde o bacalhau, tire-lhe a pele e as espinhas. Coloque o bacalhau dentro de um pano e esfregue para o desfiar muito bem.
Descasque as batatas e corte-as em palha e frite-as em óleo, escorra sobre papel absorvente e reserve-as.
À parte, pique os alhos, corte as cebolas em meias luas finas e refogue-as no azeite, retirando-as com uma espátula quando ficarem translúcidas. No mesmo azeite frite o bacalhau até ficar um pouco rijo. Depois misture tudo muito bem e retire do lume.
Bata os ovos temperando-os com sal e pimenta e junte-os ao preparado. Volte a levar ao lume, mexendo constantemente com uma espátula até os ovos coagularem, mas de modo a ficarem macios.
Sirva de imediato numa travessa aquecida, polvilhando com a salsa picada e decorando com azeitonas.

#moreiracongelados #bacalhau #receitas #saude

Receita do Dia – Lasanha de Bacalhau

Receita do Dia – Lasanha de Bacalhau

Para o seu jantar, aqui fica mais uma receita com um produto Moreira Congelados:

LASANHA DE BACALHAU
Coloque o azeite, a cebola, o louro e o alho num tacho e deixe cozinhar até a cebola ficar translúcida. Adicione o vinho branco. Junte os legumes e o bacalhau, deixando cozinhar durante 5 minutos. Adicione duas embalagens de Molho de Nata, tempere a gosto e deixe ferver.
Coloque um pouco de Molho de Nata no fundo do tabuleiro. Alterne camadas de folhas de lasanha com camadas de bacalhau com legumes, polvilhando com coentros.
Finalize com uma camada de folhas de lasanha, cobrindo com o resto do Molho de Nata e polvilhe com o queijo ralado. Leve ao forno a 180°C durante 30 minutos.
Sirva com salada. bom apetite!

#moreiracongelados #bacalhau #receitas #saude

Em destaque – A Dourada

Em destaque – A Dourada

Porque hoje temos eleições, votamos na dourada grelhada.
A Dourada tem um corpo muito ovalado de cor cinzento-prata e uma mancha dourada entre os olhos, origem do nome “dourada”. É encontrada no Atlântico Nordeste e Mar Mediterrâneo, onde habita a coluna de água em zonas até 150 m de profundidade. Vive solitária ou em pequenos grupos e alimenta-se de moluscos, crustáceos e ouriços-do-mar. Reproduz-se de Outubro a Dezembro e, apesar
de desovar no mar, os juvenis procuram a protecção dos estuários para se desenvolverem. É pescada com arrasto e redes de emalhar, sendo a segunda espécie mais produzida por aquicultura em Portugal, apenas ultrapassada pelo pregado.

Incluir peixes regularmente na dieta traz benefícios como a melhoria a memória, a concentração, prevenção de doenças cardiovasculares e redução da inflamação.

#moreiracongelados #saude #alimentacao #domingo